Adolescência e Decepção

Definindo Decepção

Quando um adolescente está ansioso, deprimido, abatido, enfrentando conflitos ou lutando com pecado habitual, como podemos ajudar? Adolescentes que vêm para aconselhamento normalmente expressam algum tipo de decepção ­— com seus pais, colegas, sociedade, eles mesmos ou Deus. Essas decepções os levaram ao desânimo que se manifesta como depressão, ansiedade e transtorno emocional em geral. Para alguns adolescentes, a rebelião se instala na medida que respondem a suas circunstâncias sem uma perspectiva bíblica.

Os adolescentes muitas vezes esperam que você possa mostrar a eles como mudar suas circunstâncias para que não fiquem mais desapontados. Quando temos que lhes dizer que não somos capazes de fazer isso, a decepção pode aumentar. Mas quando lhes dizemos que temos uma solução melhor, uma maneira melhor de lidar com o desapontamento, estamos lhes oferecendo esperança. A esperança bíblica supera em muito qualquer desapontamento. Costumo começar com um adolescente dizendo algo assim:

“Suas decepções se tornaram evidentes e a sua reação a essas decepções o está levando ao desânimo. Você sabia que Deus nunca irá desapontá-lo? Se você não tem certeza de que acredita nisso, tudo bem. Eu acredito nisso, e a Palavra de Deus nos oferece muita ajuda. Se você der uma chance a ele e me der uma oportunidade de lhe mostrar, seria um privilégio acompanhá-lo nesta jornada.”

Podemos começar com uma discussão sobre a definição de desapontamento. Veja um exemplo:

“Um sentimento de insatisfação quando as esperanças, desejos e expectativas de alguém não se concretizam.”

Muitas pessoas ficam desanimadas quando acreditam que Deus não se comportou da maneira que acham que deveria. Isso leva a uma visão doentia da bondade e soberania de Deus que sempre resulta em frustração.

Perspectiva

Os adultos sabem que todos enfrentam sonhos não realizados, tristezas e decepções. Os crentes geralmente estão familiarizados com as palavras de Jesus: “neste mundo você tereis aflições” (João 16.33). Para um adolescente com menos experiência de vida, isso pode ser uma nova descoberta. O que parece comum e até mesmo óbvio para nós pode ser surpreendente e abalar a fé de um adolescente. É útil manter isso em mente para evitar suposições sobre a visão de mundo e o processo de pensamento do adolescente.

É útil ensinar o adolescente a ver o desapontamento por uma perspectiva bíblica. Essa mudança de paradigma é o começo do mais profundo trabalho no coração, que leva à transformação do coração. Algumas verdades que transformam perspectivas para ensinar a um adolescente são:

  1. Não podemos eliminar a frustração nesta vida (Atos 14.22).
  2. Embora não gostemos de sermos desapontados, as decepções servem a um propósito. É através de provações e desapontamentos que aprendemos paciência, humildade, perseverança e confiança. Essas virtudes desenvolvem um caráter piedoso em nós (Romanos 5.3–5).
  3. Durante nossas decepções, aprendemos a confiar em Deus. Quando confiamos nele, aprendemos sobre seu poder que é forte quando somos fracos (2 Coríntios 12.9).
  4. Pode parecer que nossas decepções estão durando para sempre, mas nosso tempo nesta terra é uma pequena fração da eternidade. A resposta de Paulo à perseguição é um exemplo de uma perspectiva bíblica sobre o sofrimento quando ele descreveu suas dificuldades como “problemas leves e momentâneos”. Seu foco na eternidade superou as decepções terrenas que enfrentou (2 Coríntios 4.17–18).
  5. O desapontamento pode fortalecer nossa fé. A Palavra de Deus ensina que vivemos pela fé (2 Coríntios 5.7) e que sem fé é impossível agradar a Deus (Hebreus 11.6). Todos nós vamos experimentar situações em que a nossa fé será posta à prova, e Tiago nos diz que devemos “ter por motivo de toda alegria” quando enfrentamos essas coisas (Tiago 1.2–4).
  6. O desapontamento nos ajuda a entender a soberania de Deus. Ele tem propósitos soberanos para nossas lutas (Romanos 11.33).
  7. Nossas decepções nos ensinam a orar. A oração nos dá força para suportar. Ele diz que podemos ir a ele, e ele nos dará descanso (Mateus 11.28).
  8. Decepções nos levam a ver que nunca estamos sozinhos (Hebreus 13.5). Deus nos dará força para suportar e superar todas as decepções (Filipenses 4.13).

As verdades acima podem ser ensinadas ao longo do tempo e explicadas em profundidade, dependendo da capacidade de compreensão do indivíduo. Isso proporcionará muitas oportunidades para transmitir ao adolescente uma mensagem clara do evangelho e discutir como aplicá-lo a suas lutas.

Se esse ensino, que transforma perspectivas, for algo novo para um adolescente ou difícil para ele aplicar, ensine-o mesmo assim. Lembre-se de que Deus faz a mudança de coração em seu modo e em seu tempo. Precisamos apenas ser fiéis a sua Palavra e compartilhá-la. Se você está discernindo sobre a maturidade espiritual do adolescente, com a direção do Espírito Santo, você poderá encontrar maneiras de explicar essas verdades à luz da capacidade de compreensão do adolescente.

Um amor que nunca desaponta

A Palavra de Deus nunca volta vazia, e isso é um grande incentivo para aqueles que trabalham com adolescentes, pois podem não ver frutos imediatamente. Meu lema pessoal em relação ao aconselhamento de adolescentes é: “Desde que eles estejam dispostos a entrar pela porta, sentar-se e, pelo menos, parecerem ouvir, continuarei a os ensinar e aconselhar”.

Muitas vezes me perguntam: “Como você aconselha adolescentes?” Sugiro que qualquer pessoa cuja vida cruze com a vida de adolescentes faça a si mesma essa pergunta: “O que me dá esperança quando estou desapontado, desanimado, ansioso e deprimido?”

Adolescentes experimentam essas coisas assim como nós. As verdades que nos ajudam também ajudam os adolescentes. Nem sempre sabemos ou discernimos se um adolescente compreendeu completamente o evangelho, mas há uma mensagem de esperança que pode ser explicada tanto para os adolescentes crentes quanto para os não-crentes, ou seja, há um amor que nunca desapontará.

Os adolescentes que aconselho trazem consigo com uma variedade de histórias e lutas. Eles são únicos e cada caso requer cuidados delicados e individualizados. Não há uma abordagem mais simples para ajudar nossos jovens, mas há uma verdade abrangente que pode ser enfatizada durante as sessões com um adolescente: Deus nunca irá decepcionar. Seu amor é um amor que nunca desapontará, e nenhuma quantidade de sofrimento pode desfazer o que Deus fez por nós em Cristo.

“Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.” (Romanos 8.38–39)

Perguntas para Reflexão

Quais outras sugestões você tem para o acompanhamento de adolescentes decepcionados? Será que a sua própria reação ao desapontamento também precisa ser tratada com essas verdades que transformam perspectivas?

[Este post, de autoria de Ellen Castillo, foi originalmente publicado no blog da Biblical Counseling Coalition. Traduzido por Lucas Sabatier e republicado mediante autorização.]

Escrito por Lucas Sabatier

Lucas Sabatier é conselheiro certificado pela ACBC (Association of Certified Biblical Counselors) e mestrando em teologia prática pelo Southern Baptist Theological Seminary (Louisville–KY). É também advogado, formado em Direito pela PUC de São Paulo, e mestre em divindade pelo Faith Bible Seminary (Lafayette–IN, EUA). É casado com a Isabella, e pai da Ana Luisa e da Sophie.

Ver todos os posts do autor →

Este artigo tem 1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *