Decisões, decisões, decisões

Os anos de universidade estão cheios de potencial e oportunidades. Estudantes estão explorando as realidades de sua identidade em Cristo além das instruções dos pais. Eles não estão mais brincando com dinheiro de Banco Imobiliário, as rodinhas na bicicleta se foram, e eles sabem disso. Esses são os dias que irão direcionar a trajetória do restante da vida deles. Por vezes, podemos nos sentir sobrecarregados com a vida. Que curso eu devo escolher? Devo fazer um empréstimo para pagar a faculdade? Devo fazer uma viagem este verão? Devo me casar? E se eu não me casar? Devo criar uma empresa e surfar todos os dias pelo resto da minha vida?

Não há um “checklist” para fazer as escolhas perfeitas. Na verdade, na maioria dos casos, a decisão é feita entre duas escolhas muito boas. Mas há, no entanto, princípios bíblicos que podem guiar o processo de escolha de todos (seja você um estudante universitário ou não), para que naveguemos por essas escolhas sem ficarmos loucos.

Pense realisticamente (Filipenses 4.8; Provérbios 4.26)

Você toma decisões em tempo e espaço reais. Por isso, você deve pensar de forma realista sobre a sua situação. Comece por simplesmente definir a decisão a sua frente. Qual a natureza e o escopo exato da escolha que está sendo considerada? Então junte informações disponíveis e relevantes para criar um entendimento completo de todas as partes relacionadas. Não se apresse. Se não há informações suficientes para construir uma decisão racional, espere e ore até que isso seja possível. Uma vez que você tem todas as informações, comece a desenhar alternativas reais baseadas nesses fatos. Comece a imaginar quais seriam as possíveis implicações de cada uma dessas alternativas, ao invés de tentar resolver todos os problemas que podem nem sequer acontecer; isto vai dar a você um contexto preciso para tomar uma decisão.

Conheça a vontade de Deus (2 Timóteo 3.16; 2 Pedro 1.2–3)

Ao contrário do que alguns pensam, a vontade de Deus não é tão distante e misteriosa. Ele a deu perfeitamente e completamente em sua Palavra. As Escrituras contêm todas as informações necessárias e relevantes para uma vida piedosa e para as decisões que estão a nossa frente. Olhe para todas as passagens que se relacionam diretamente ou indiretamente a sua decisão, para identificar a estrutura bíblica para tomar a sua decisão. Como ponto fundamental de início, considere Mateus 22.37–40. Como suas decisões afetam seu compromisso de amar a Deus com todo o seu ser e recursos? Considere como essa decisão impacta aqueles ao seu redor como uma expressão de devoção a Deus. Enquanto você considera sua decisão conforme a vontade revelada de Deus, você terá coragem e confiança de que qualquer decisão que você tomar estará dentro do plano de Deus.

Verifique suas motivações (Romanos 12.1–3; Provérbios 4.23; Hebreus 4.11–13)

Decisões são direcionadas pelos nossos desejos. O que você quer com a decisão que está tomando? Por que você se importa tanto com isso? Isto é bom? É aceitável diante de Deus e dos homens? Vai ajuda-lo ou ajudar os outros a amadurecerem? Considerar a motivação por trás das decisões que você deseja tomar não irá ajuda-lo somente a entender as escolhes a sua frente, mas porque elas importam tanto.

Busque conselho e não consenso (Provérbios 12.15, 19.20)

Amigos confiáveis e lideranças são presentes de Deus para nós. Eles nos ajudam a considerar as situações por diferentes perspectivas. Pense alto e honestamente com eles, e convide-os para participar de sua vida, trazendo clareza as suas reflexões. Não procure pessoas que pensam exatamente como você. Ao invés disso, encontre alguns cristãos semelhantes a você que possam ajuda-lo a refletir biblicamente sobre a decisão. É aqui que a liderança da igreja local se torna algo essencial no seu processo de tomar decisões. Evite buscar um grupo que apoie uma decisão que você já tomou.

Seja ativamente dependente (Mateus 6.25–34; Filipenses 4.4–7; 1 Pedro 5.7)

Pensar nas decisões que precisamos tomar podem criar um alto nível de medo e ansiedade. A tentação é analisar em excesso e planejar cada mínimo detalhe para eliminar todas as margens de erro e consequências negativas. O processo de tomar decisões coloca nosso coração em um lugar de extrema dependência. Oportunidades, recursos, relacionamentos, e tempo são todos fatores que moldam nossas decisões, mas não podemos controla-las. Ao invés disso, eles estão sob o controle soberano do nosso Deus (Isaías 46.9–10; Salmos 136; Romanos 8.28–29). Por isso, use esses momentos como oportunidades de explorar e expandir sua dependência ativa de Deus. Peça ajuda a ele. Ele entende as suas dificuldades e desejos, e está comprometido em orquestrar todas as coisas para conformar em nós a imagem de Cristo. Então, confie nele.

Faça alguma coisa (Tiago 1.22; Filipenses 4.8–9)

Todos querem fazer um bom negócio. Por isso nós pesquisamos e lemos análises de tudo que queremos comprar, ler ou assistir. Nas maiores decisões de nossas vidas, algumas vezes somos incapazes de calcular todas as variáveis e implicações dessa decisão, e isto nos paralisa. Não se apavore. A maior parte das grandes escolhas que fazemos na vida são o efeito cumulativo de muitas pequenas escolhas que fizemos na mesma direção. Coloque sua confiança na soberania de Deus, na direção da sua Palavra, e no conselho de amigos confiáveis e tome a decisão que seria o próximo passo lógico nessa direção. Você descobrirá que os mesmos princípios bíblicos que você aplica nas pequenas decisões da sua vida são os princípios aplicáveis as grandes decisões no futuro. Então, faça alguma coisa. Você pode chegar a conclusão que andar algumas milhas em uma direção irá lhe dar uma melhor vista do que está a frente.

Adore bem (Colossenses 3.17; 1 Coríntios 10.31)

O processo é tudo, e todos iremos adorar algo no processo. A forma como tomamos decisões deve refletir um contexto piedoso e de adoração, independente do impacto que as nossas decisões tenham em nossa vida. O objetivo de viver bem é deleitar-se na bondade e na grandeza de Deus nos momentos do nosso dia a dia—inclusive nas nossas decisões. Este objetivo é alcançado através do poder do evangelho e das oportunidades do dia a dia de louvar a Deus. Ele tem tudo sob controle. Adore a ele durante o processo de tomada de decisões e continue a fazer isso depois de tomar a decisão; você pode ter certeza de que em todas as coisas, Deus é louvado.

[Este post, de autoria de Joe Keller, foi originalmente publicado no blog da Biblical Counseling Coalition. Traduzido por Gustavo Santos e republicado mediante autorização.]

Escrito por Gustavo Santos

Gustavo Santos é engenheiro, e mestrando em Divindade pelo Faith Bible Seminary (Lafayette, IN, EUA). Atualmente, serve como estagiário na Igreja Batista Maranata em São José dos Campos – SP.

Ver todos os posts do autor →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *