Obediência 3I na Geração 3D

Ao perguntarmos a qualquer pai estudioso da Bíblia quais são os principais mandamentos para os filhos, creio que a maioria responderia sem pestanejar: “Obedecer e honrar aos pais.”

Honrar o pai e a mãe é o quinto mandamento do decálogo (Ex 20.12) e o primeiro dirigido ao próximo. Penso que a melhor forma dos filhos honrarem seus pais é obedecendo.

“Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo” (Ef 6.1). Quando filhos obedecem a seus pais estão glorificando a Deus em suas vidas. Estão indo além de uma obediência a homens e estão sendo submissos e obedientes ao próprio Deus.

A mesma Bíblia que exorta os filhos a serem obedientes aos pais, também alerta que nos últimos dias sobreviriam tempos trabalhosos (2Tm 3.1-4), pois os homens seriam, entre outras coisas, desobedientes aos pais. Embora a expressão ‘últimos dias’ não se aplique exclusivamente a atual geração, certamente esta geração também é composta pelos homens dos últimos dias.

A geração da interação virtual, da alta tecnologia, da comunicação constante e das redes sociais tem evidenciado ser uma geração em que dar ouvidos as ordens dos pais não é uma prioridade. A geração da informação abundante tornou-se esperta demais para precisar dar ouvidos  a pessoas que viveram mais, mas que “estão por fora”.

Filhos que nasceram de novo devem evidenciar este novo nascimento através de frutos de justiça e obedecer a Palavra de Deus através da obediência aos pais é um importante fruto. Meu professor do Metrado, Dr. David Merkh, menciona que a obediência bíblica é uma obediência 3I.[1]

A obediência precisa ser IMEDIATA. Muitos pais se gabam de que contam até três e seus filhos obedecem. Filhos assim obedecem, não porque querem agradar a Deus. Eles obedecem porque sabem que depois do três sofrerão alguma consequência por sua desobediência. Muitos filhos ao receberem uma ordem dos pais dizem “já vou”, mas não esboçam nenhuma ação que demosntre que obedecerão. A Bíblia diz que a geração de israelitas que saiu do Egito colocou Deus à prova dez vezes e não obedeceram a voz do Senhor. A consequência foi que eles não entraram na terra da promessa (Nm 14.22-23). Não obedecer imediatamente é colocar os pais a prova e certamente não é a obediência que Deus espera.

A obediência precisa ser INTEIRA. Saul deveria destruir completamente os amalequitas, mas ele poupou o rei Agague e o melhor das ovelhas e dos bois. A consequência deste ato de Saul foi que Deus o destituiu de seu trono por ter desobedecido ao Senhor (1Sm 15.1-23). Saul matou praticamente todos os seres humanos e a maioria dos animais, mas não foi suficiente para que fosse caracterizada sua obediência. Obedecer parcialmente aos pais não é obediência bíblica. Obedecer apenas em algumas ocasiões não é obediência bíblica. Cumprir em parte aquilo que os pais determinam foge ao padrão que agrada a Deus.

Finalmente, a obediência precisa ser INTERNA. Jesus citou o profeta Isaías e disse: “Este povo me honra com os lábios, mas seu coração está longe de mim” (Mt 15.8). Sobre tudo que devemos guardar, devemos guardar o coração, porque dele procedem as fontes da vida (Pv 4.23). O ensino bíblico é de que o pecado ocorre primeiro no coração. Conta-se a estória de uma criança que ao receber a ordem de seu pai para sentar-se foi desobediente. Após a ameaça de uma surra a criança sentou-se, mas fez questão de dizer: “Estou sentado, mas por dentro estou em pé”.

A verdadeira obediência é aquela que vem do coração. A obediência graciosa é algo que vem de dentro para fora, e esta é uma obra do Espírito. O profeta Malaquias, falando sobre tempos vindouros, nos dá um exemplo de que o arrependimento e a conversão a Deus podem ser vistos na restauração dos relacionamentos familiares. Ele diz “converterei o coração dos filhos aos pais” (Ml 4.6). Filhos regenerados tem corações inclinados a obediência. E isso se expressa em uma obediência INTERNA, INTEIRA e IMEDIATA.

[1] Merkh, David John e Merkh, Carol Sue. 151 Boas Ideias para Educar seus Filhos. Ed. Voxlitteris, São Paulo.

Escrito Por:
mello-site Alex Mello é Mestre em Ministério Familiares pelo Seminário Bíblico Palavra da Vida e membro da Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos (ABCB). Exerce seu ministério pastoral na Igreja Batista da Fé em São José dos Campos-SP.