Por que Aconselhar?

Normalmente, os que fazem esta pergunta querem argumentar que o pregar, evangelizar e o ensinar são ministérios que já requerem muito tempo na vida de um pastor, então, por que dedicar mais tempo ainda aconselhando?

Esta é uma boa pergunta, mas, antes de respondê-la eu quero trabalhar na definição de Aconselhamento Bíblico, uma vez, que muitos conceitos errôneos estão incluídos dentro da palavra “Aconselhamento”.

Quando falamos de “aconselhamento” estamos falando de uma palavra que embora sendo uma, na língua Grega, é formada por duas palavras: (pronuncia-se nutecía), ela é formada pelo substantivo grego (pronuncia-se nus) significando: mente, e pelo verbo (pronuncia-se tetéo), significando: por, colocar. Juntando-se os dois sentidos temos: Colocar na mente.

Assim, quando falamos de ACONSELHAMENTO BÍBLICO, estamos falando de colocar as ESCRITURAS dentro da mente de uma pessoa.

O trabalho do Conselheiro Bíblico, então, é discernir pensamentos e/ou comportamentos que Deus quer mudar, fazendo uso EXCLUSIVAMENTE da Palavra de Deus para mudar os pensamentos e comportamentos que desagradam a Deus, para o benefício da pessoa que está sendo aconselhada e para a Glória de Deus. O fruto deste trabalho chama-se ACONSELHAMENTO BÍBLICO.

Com o conceito correto do que é Aconselhamento Bíblico em mente, podemos voltar à pergunta formulada acima: Por que dedicar mais tempo ainda aconselhando? A resposta é simples, o mesmo Senhor Jesus Cristo e a mesma Bíblia ordena ACONSELHAR juntamente com a pregação, juntamente com os ensinos, com as ordenanças, com o estudo pessoal da Bíblia, com a disciplina na Igreja Local e a Comunhão. Para um bom entendimento vejamos algumas passagens bíblicas que irão nos orientar neste sentido.

Paulo em Atos 20, principalmente nos versos de 17 a 38, falando aos líderes de Éfeso no verso 20 diz que ele passou tempo ensinando tanto publicamente quanto de casa em casa. No verso 21, ele, esteve em todo lugar de Éfeso evangelizando tanto a judeus como a gregos.

No verso 31, nós lemos: “Portanto, vigiai, lembrando-vos que por três anos, noite e dia, não cessei de admoestar com lágrimas, a cada um”. Isto significa que Paulo esteve advertindo, confrontando, pondo na mente as Escrituras na vida de CADA UM dos crentes de Éfeso.

Paulo não estava só pregando do Púlpito e ensinando somente quando os crentes estavam reunidos, mas, ele estava procurando pelas pessoas para saber sobre suas necessidades e procurando ajudá-las a fim de que elas se tornassem homens e mulheres que agradassem a Deus.

Pastorear uma Igreja envolve colocar a preciosa Palavra de Deus na mente de cada crente durante cada dia da semana e não somente aos domingos, vendo as necessidades de cada um e levando os crentes a satisfazerem suas necessidades através da toda Suficiente Palavra de Deus. Note que o verso 28 diz, que o Espírito Santo havia constituído Bispos em Éfeso para PASTOREAREM a Igreja de Deus a qual Ele comprou com o seu próprio sangue.

A Palavra de Deus nos mostra então, que pastorear implica também estar envolvido no aconselhar. Vejamos outra referência que também nos ajudará a entender Por que Aconselhar?

Colossenses 3:16 diz: “Habite ricamente em vós a palavra de Cristo, instruí-vos e ACONSELHAI-VOS mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus com salmos e hinos e cânticos espirituais, com gratidão em vossos corações.”

Observe que este verso é um mandamento recíproco, portanto, pelo menos, duas verdades podemos aprender com ele. Primeira, que é UM MANDAMENTO, portanto, deve ser obedecido sem ser questionado. Segunda, é RECÍPROCO, significa que deve ser praticado por TODOS os crentes e não apenas pelos pastores.

Na Bíblia há mais de cem versos que se referem ao ministério recíproco e destes vinte e cinco são mandamentos.

Então meu querido pastor permita-me fazer-lhe uma pergunta: SEUS MEMBROS ESTÃO ACONSELHANDO MUTUAMENTE?

A resposta a esta pergunta reflete se o Pastor é um Conselheiro Bíblico que está praticando Todo o Conselho de Deus treinando seus membros a serem conselheiros.

A implicação de Colossenses 3:16 dentro do ministério pastoral é muito importante para que os pastores possam avaliar como eles estão levando a sério o seu ministério dentro da Igreja Local.

O Alvo desta coluna é deixar você convencido que Deus nos deu a Sua Palavra e que Ele vai adequadamente nos equipar para toda boa obra. Que Deus tenha misericórdia de nós!

Escrito por Pr. Flavio Ezaledo

Flávio Ezaledo é Presidente da ABCB, Pastor e conselheiro bíblico da Igreja Batista da Fé em São José dos Campos – SP. Mestre em Teologia e Exposição Bíblica, com ênfase no Antigo Testamento, pelo Seminário Bíblico Palavra da Vida, cursando Mestrado em Aconselhamento Bíblico no CETEVAP. Reitor e Professor de Teologia Bíblica do Antigo Testamento, Hebraico e Exegese do Hebraico no Centro de Estudo Teológico do Vale do Paraíba (Cetevap). Certificado pela BCF (Biblical Counseling Foundation). Casado com Ingrid – 3 Filhos: Thifani (casada com André), Nathan e Livian e avô do Tito.

Ver todos os posts do autor →

Este artigo tem 1 comentário

  1. Eneas Pires de Souza Responder

    Graça e Paz!

    Que texto maravilho onde nos ensina sobre o Ministério do Aconselhamento Bíblico.

    O Versículo de Atos 20:28 me impactou, pois aprendi que devemos cuidar de nós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentar a igreja de Deus, que Ele adquiriu com o seu próprio sangue.

    Ou seja, precismos cuida de nós mesmos, e cuidar de todo o corpo de Cristo que é a Sua igreja.

    Que o Senhor Deus tenha realmente misericórdia de nós!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *