Qual é a chave para o seu crescimento espiritual?

Você consegue identificar uma coisa que você pode fazer este ano para garantir seu crescimento espiritual?

Seu crescimento espiritual seria muito mais fácil se houvesse apenas uma coisa que pudesse ajudá-lo a crescer, a destravar sua vida espiritual ou aliviar o fardo da sua luta diária. Apenas uma coisa — uma cura mágica, um processo de uma etapa para a santificação, um método à prova de falhas. Muitas coisas já foram sugeridas, como: lembre-se de que Deus trabalha todas as coisas para seu bom; lembre-se de sua identidade em Cristo; preste contas a alguém, faça guerra espiritual; sirva os outros diariamente; pregue o evangelho a si mesmo; ande no Espírito; considere a eternidade; ouça boas pregações; leia sua Bíblia diariamente; ore regularmente — e a lista continua.[1] Embora todas essas coisas sejam boas em si mesmas, nenhuma dessas coisas é a única coisa que destrói os segredos de seu crescimento em Cristo. Progredir em sua jornada espiritual exige muito trabalho; não existe uma fórmula mágica para o crescimento.

Uma pergunta melhor

Em vez de se perguntar: “Qual é a uma coisa que é a chave para o meu crescimento espiritual?”, pergunte-se: “Qual é a próxima coisa que eu preciso fazer para crescer espiritualmente?”

Considere este ano como uma jornada de 365 dias. O caminho a seguir promete momentos de alegria, prazer, benção e vitória, ao lado de momentos de tristeza, desafios, adversidades e fracassos. À medida que você percorre o longo caminho desta jornada de 365 dias, às vezes você corre, às vezes você anda, ou para, senta-se e descansa. Para chegar ao fim, você não fará apenas uma coisa. Em vez disso, você fará muitas coisas. Em qualquer momento, o que o leva continuar no caminho é escolher qual é a próxima coisa a ser feita.

Qual é a próxima coisa?

Deus quer que busquemos crescer em piedade. Em Filipenses, Paulo nos desafia de duas maneiras:

  1. “Vivei, acima de tudo, por modo digno do evangelho de Cristo” (Filipenses 1:27), e
  2. “Mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus” (Filipenses 3.13–14).

Em ambos os casos, Paulo desafia o cristão a buscar a semelhança de Cristo e se esforçar para viver uma vida consistente com a Bíblia — a única uma coisa digna que fazemos.

Observe essa importante distinção. A única coisa que fazemos não é uma fórmula mágica. É um estilo de vida, um processo, uma jornada. Ele inclui todos os tipos de coisas boas que se enquadram na categoria geral de buscar crescimento, uma vida digna, tornar-se como Cristo. A questão para o cristão então é: “Qual é a próxima coisa ao meu alcance para buscar a uma coisa, semelhança de Cristo?”

Como faço para determinar a próxima coisa?

À medida que você pensa e pondera suas circunstâncias ou pressões específicas (independentemente de ser algo que aconteceu com você, uma oportunidade presente ou seu próprio pecado passado), há duas categorias a considerar para determinar a próxima coisa.

Primeiro, qual é a correta próxima coisa? À medida que você reflete sobre o que fazer a seguir, determine fazer a próxima coisa certa. Pode haver muitas opções para você considerar. Se você está reagindo a algum pecado contra você, você pode ser tentado a devolver o mal com mal. Possivelmente, você está lutando contra amargura e rancor em relação a outra pessoa. Você pode estar pensando em como se vingar. Espero que as palavras de Paulo o encorajem a não apenas reagir, mas a fazer o que é certo, fazer a escolha que honra o Senhor. Paulo escreveu: “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (1 Coríntios 10.31). Tiago nos lembra: “Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz nisso está pecando” (Tiago 4:17). Então, faça a próxima coisa certa.

Em segundo lugar, qual é a melhor próxima coisa? Depois de determinar o que é certo, pode haver várias boas opções disponíveis para você. Agora você tem que decidir qual é a melhor escolha. Paulo orou assim pelos filipenses: “que o vosso amor aumente mais e mais em pleno conhecimento e toda a percepção, para aprovardes as coisas excelentes” (Filipenses 1.9–10). Aprovar o que é excelente implica em testar as opções disponíveis e concluir qual é a melhor. Pode haver muitas coisas que sejam apropriadas, compreensíveis, adequadas e não pecaminosas. No entanto, o desafio é determinar qual dessas opções é a melhor. Essas opções poderiam ser classificadas em um gráfico entre o que é imprudente e o que é sábio — e isso inclui opções boas, ótimas e a melhor. À medida que você considera qual é a melhor, reflita também sobre outras pessoas impactados por sua decisão, pois isso afetará sua escolha.

Pergunta para reflexão

Em sua jornada de crescimento espiritual, use esta pergunta como parte da sua reflexão diária: “Qual é a melhor e certa próxima coisa na minha busca pela uma coisa, ou seja, semelhança com Cristo?”

[1] Para mais informações sobre as chaves para a santificação, veja David Powlison, How Does Sanctification Work? (Wheaton, IL: Crossway, 2017) 23-31.

[Este post, de autoria de Kevin Carson*, foi originalmente publicado no blog da Biblical Counseling Coalition. Traduzido e adaptado por Lucas Sabatier, e republicado mediante autorização.]

*Kevin Carson (D.Min.) é pastor (www.sonrisebaptist.com), professor (www.gobbc.edu), editor do blog kevincarson.com, autor e conselheiro certificado.

Escrito por Lucas Sabatier

Lucas Sabatier é conselheiro certificado pela ACBC (Association of Certified Biblical Counselors) e mestrando em teologia prática pelo Southern Baptist Theological Seminary (Louisville–KY). É também advogado, formado em Direito pela PUC de São Paulo, e mestre em divindade pelo Faith Bible Seminary (Lafayette–IN, EUA). É casado com a Isabella, e pai da Ana Luisa e da Sophie.

Ver todos os posts do autor →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *