Quatro Palavras que Ajudam a Definir Aconselhamento Bíblico

O Novo Testamento faz uso de diversos termos para enfatizar o aspecto mais concentrado do “fazer discípulos”, o que chamamos de Aconselhamento Bíblico. Hoje vamos examinar quatro deles. Os significados e usos dessas quatro palavras nos ajudam a vislumbrar um ministério bem equilibrado, empenhado em ajudar pessoas a mudarem.

Parakaleo Primeiro, de acordo com o Dicionário Expositivo de Palavras do Antigo e Novo Testamentos (Vine’s), a palavra grega parakaleo significa “chamar para seu lado”, ou seja, “chamar para socorrer”. Ela é usada para todo tipo de ‘chamado’ que é intencionado a produzir um efeito particular, e daí decorre seus vários significados, como “confortar, exortar, desejar, chamar para”. O apóstolo Pedro usa essa palavra para alertar cristãos a se absterem das paixões da carne (1 Pedro 2.11), e o autor de Hebreus insiste que os crentes devem encorajar uns aos outros a serem fiéis a suas igrejas locais (Hebreus 10.25). O plano de Deus para transformação do nosso caráter pessoal sempre incluiu outras pessoas da comunidade da fé, pois o crescimento espiritual normal não acontece em isolamento, mas na companhia de outros.

Protrepo — Segundo, a palavra grega protrepo significa “impulsionar, incentivar, encorajar”. Por exemplo, quando Apolo desejava ir a Acaia, os irmãos “encorajaram” outros para o receberem com graça (Atos 18.27). Portanto, descobrimos que, de tempo em tempo e em vários níveis, todas as pessoas precisam estar motivadas para continuar avançando na jornada da aplicação das verdades bíblicas para sua vida.

Noutheteo — Terceiro, a Chave Bíblica do Grego do Novo Testamento diz que a palavra grega noutheteo significa “admoestar” ou “chamar atenção”. Isso é, “colocar diante da mente” com o fim de “corrigir por meio da instrução e do alerta”. Ela difere levemente do simples ensino, uma vez que é normalmente uma resposta a algum tipo de erro ou um alerta contra algum perigo espiritual, presente ou potencial. Quando Paulo aconselha os anciãos de Éfeso sobre o perigo dos falsos profetas emergentes, que tentariam fazer discípulos com falsas doutrinas, ele os lembra dos três anos em que ele não cessou em admoesta-los (Atos 20.31). Romanos 15.14 ensina que os crentes devem ser abeis para admoestar uns aos outros biblicamente. E isso deve ser sempre focado no objetivo da maturidade espiritual (Colossenses 1.28), e, portanto, os crentes devem apreciar os pastores que lhes dão instrução com essa finalidade (1 Tessalonicenses 5.12). A forma substantiva, nouthesia, significa “treinar pela palavra—ou de encorajamento, quando suficiente, ou de admoestação, reprovação ou censura, quando necessário”. Assim, percebemos que o plano de Deus para o discipulado exige que os crentes cuidem o suficiente uns dos outros, inclusive para os confrontar quando irmãos ou irmãs que eles amam estão em erro, alertando-os firmemente e instruindo sobre os riscos espirituais em suas vidas.

Paraineo — Quarto, a palavra grega paraineo significa “admoestar por exortação ou conselho”. Um exemplo disso é quando, em meio a uma tempestade no mar, Paulo admoesta seus companheiros marinheiros e os alerta para que mantenham sua coragem (Atos 27.9, 22). Portanto, podemos perceber que o processo de crescimento espiritual requer que os crentes deem coragem para seus companheiros de jornada do discipulado, especialmente quando eles estão em meio às tempestades da vida.

Em todos esses casos, esses crentes são “conselheiros”, com ou sem um título. E o conselho necessário é sempre na forma de palavras faladas provenientes de um comprometimento com o amor bíblico. Provérbios 18:21 diz: “A morte e a vida estão no poder da língua”. Como conselheiros bíblicos, nós devemos tomar muito cuidado com as palavras que usamos com nossos discípulos, pois a fala tem poder de mata-los em desespero ou de lhes dar esperança de vida. Gosto de como David Powlison define com simplicidade o aconselhamento: “conversas intencionais que ajudam”. O poder do conselho bíblico está na medida em que nossas palavras estão cheias com a Palavra.

[Trecho de Counsel One Another: A Theology of Inter-dependence, (Wapwallopen, PA: Sheperd Press), 2009]

[Este post, de autoria de Paul Tautges, foi originalmente publicado no blog da Biblical Counseling Coalition. Tradução feita por Lucas Sabatier.]

Escrito por Lucas Sabatier

Lucas Sabatier é conselheiro certificado pela ACBC (Association of Certified Biblical Counselors) e mestrando em teologia prática pelo Southern Baptist Theological Seminary (Louisville–KY). É também advogado, formado em Direito pela PUC de São Paulo, e mestre em divindade pelo Faith Bible Seminary (Lafayette–IN, EUA). É casado com a Isabella, e pai da Ana Luisa e da Sophie.

Ver todos os posts do autor →