Recebendo Críticas

Precisamos admitir — ninguém gosta de ser criticado. Críticas provocam uma dor interna intensa. David descreveu bem essa experiência: “eles afiam a língua como espada e apontam, quais flechas, palavras amargas” (Salmo 64.3). Ele foi esfaqueado com palavras. Eu também sei o que é ser esfaqueado! Fui criticado pelo meu jeito que liderar e não liderar. Fui criticado pelos meus cabelos faciais (sim, barba! Confira, http://www.nordicpreacher.com/beardology). Fui repreendido por coisas que escrevi ou não escrevi. Fui castigado por concluir uma oração “no precioso nome de seu Filho, Amém” em vez de “no nome de Jesus”. Fui repreendido por trabalhar muito e por não trabalhar o suficiente. Já contaram mentiras sobre mim, insinuações feitas sobre meu caráter, e me disseram que seria melhor se eu fosse um professor da 3ª série em vez de um pastor. Eles ficariam surpresos de descobrir que acabei me tornando um professor universitário e de seminário. Alguns me acharam muito leve com as pessoas no meu aconselhamento e outros me chamaram de durão. Como consigo processar tudo isso? Apenas fico amargo? Me permito ficar cínico com relação a pessoas e ao ministério, e me afasto?

Vamos deixar que as Escrituras nos dê a direção. Ela nos diz: “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (1 Corinthians 10.31); portanto, tudo deve ser recebido e respondido como um ato de adoração. Ao longo dos anos de crítica, estes são alguns princípios que o Senhor me ajudou a desenvolver a fim de honrar a ele.

1. Se você me conhecesse tão bem quanto eu me conheço, você seria mais duro comigo

Uma das durezas do trabalho de entender como os tesouros/adoração de nossos próprios corações nos afetam é ele pode nos quebrantar em humildade ou nos endurecer. Eu não quero ser endurecido, então isso produziu humildade em mim.

Quem é verdadeiramente humilde não será facilmente irritado, nem áspero, nem crítico com os outros. Ele será compassivo e gentio para com as enfermidades de seus companheiros pecadores, sabendo que, se houver uma diferença, é a graça que você foi concedido! Ele sabe que ele tem as sementes de todo mal em seu próprio coração. E, sob todas as provações e aflições, ele olhará para a mão do Senhor e colocará sua boca no pó, reconhecendo que ele sofre muito menos do que suas iniquidades merecem (ênfase adicionada). [1]

Tirar a máscara das falsas tendências de adoração da minha alma revelou que há uma grande obra ainda a ser feita. Esta é a realidade: meus críticos não sabem toda a verdade. Na verdade, é pior do que eles pensam! Se eles conhecessem os pensamentos e as intenções do meu coração, eles provavelmente se perguntariam por que eu estou no ministério. Quando recebo críticas, posso pensar: “isso é tudo o que você viu de ruim”? Ainda assim não gosto da crítica, mas essa pergunta me ajuda a reagir sem amargura.

2. Minha tendência é me ver na melhor luz possível

Gênesis 3 fez mais do que nos mandar para o inferno — Genesis 3 distorceu nossa perspectiva da vida e de nós mesmos. Realmente pensamos que somos muito bons, ou, então, não doeria tanto quando somos criticados. Sim, o orgulho é a raiz de todo pecado.

Essa verdade me ajuda a ficar realista sobre mim mesmo. Outros me veem mais claramente do que eu me vejo.

Outra verdade imensamente útil é lembrar do controle absoluto de nosso Deus. Eu gosto de colocar da seguinte maneira:

3. Nada acontece em minha vida sem que primeiro passe pela mão soberana de Deus

Romanos 11.36 é abundantemente claro e revela que existem mistérios no modo como Deus opera. Paulo escreve: “Porque dele, por ele e para ele são todas as coisas”, e isso incluiria críticas.

Você se lembra do que David escreveu no Salmo 64.3 (citado acima)? Ele é realista. Sim, as palavras me apunhalam, com palavras que penetram como uma flecha, mas elas não poderiam fazê-lo, a menos que Deus lhes permitisse passar pelo escudo, que é ele mesmo.

Consequentemente, considere o próximo ponto.

4. Eu quero crescer em semelhança de Cristo, então obrigado por me ajudar

Romanos 8.28-29 ensina que Deus usa todas as circunstâncias para me refinar e ensinar com esse propósito. Portanto, essas circunstâncias não só vêm através da mão de Deus, mas elas vêm para um propósito, que é para me ajudar a crescer e ser mais parecido com meu Salvador.

Quero desesperadamente ser como ele. Preciso ser grato pelas pessoas que me ajudam positivamente nesse caminho, mas também por aqueles que me ajudam de forma negativa.

A crítica pode ajudar a conseguir isso, revelando o que deve ser importante para mim. O coração é pelo menos parcialmente formado de emoções, então, quando alguém critica e incomoda minhas emoções, a crítica deve ter tocado em algo importante — um tesouro — e devo considerar se esse tesouro tem sido mais valioso do que o Senhor (Mateus12.34–35).

Reconhecendo que a crítica revela os tesouros que valorizo, também devo considerar se a crítica tem peso.

5. Existe um padrão para as críticas?

Alguns anos atrás, fui criticado por não ser um pastor amoroso e ouvi isso de mais de uma pessoa. Foi difícil para mim ouvir isso, pois, ao contrário, pensava que eu era um pastor superamoroso (veja ponto dois acima). Eu estudava sacrificialmente para sermões, fazia visitas hospitalares, e diligentemente fiz tudo o que era necessário. No entanto, eu não podia ignorá-los — mais de uma pessoa estava percebendo isso.

Aqui está um identificador bíblico para este princípio: se mais de uma pessoa está te dizendo a mesma coisa ou coisa parecida, é melhor você ouvir. Estou baseando isso em Deuteronômio 19.15, que afirma que as ofensas devem ser confirmadas por duas ou três testemunhas (repetido em outros lugares, como 2 Coríntios 13.1).

Em conclusão, lembre-se de que …

Deus endireitará todas as coisas

Sou muito grato pela verdade de que não tenho que ser Deus na vida de outra pessoa. Ele é o juiz justo que enxugará todas as lágrimas e endireitará todas as coisas justamente. A verdade será revelada.

Aplicar esses princípios me ajudou a aplicar o sábio conselho de Stuart Briscoe, que diz: “Um pastor deve ter a pele de um rinoceronte, a mente de um estudioso e o coração de uma criança”. Se eu não aplicar esses princípios, terei a pele de um bebê recém-nascido, um cérebro consumido por ressentimento e um coração cheio de cinismo. Portanto, acho que gosto dos meus princípios para lidar com as críticas!

Pergunta para Reflexão

Quais os princípios que o ajudam você a receber críticas? Qual dos seis princípios ressoa mais com a sua alma e por que?

 

[1] John Newton, “Letters de John Newton: Indwelling Sin and the Believer”, Monergism.com, acessado em 26 de dezembro de 2017. https://www.monergism.com/thethreshold/sdg/indwellingsin.html.

 

[Este post, de autoria de Earnie Baker*, foi originalmente publicado no blog da Biblical Counseling Coalition. Traduzido e adaptado por Lucas Sabatier, e republicado mediante autorização.]

*Ernie serve como Pastor de Aconselhamento e Discipulado e diretor do Centro Graça de Aconselhamento Bíblico na Primeira Igreja Batista em Jacksonville, Flórida. Além disso, ele é presidente do programa online de Aconselhamento Bíblico na Master’s University e autor de “Marry Wisely, Marry Well”.

Escrito por Lucas Sabatier

Lucas Sabatier é conselheiro certificado pela ACBC e doutorando (Ph.D.) em aconselhamento bíblico no Southern Baptist Theological Seminary (Louisville–KY). Obteve seu M.Div. no Faith Bible Seminary (Lafayette–IN, EUA) e Th.M. no Southern Baptist Theological Seminary. É também advogado formado na PUC–SP. Lucas é casado com a Isabella desde 2011 e é pai da Ana Luisa e da Sophie.

Ver todos os posts do autor →