“Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta.”
Mateus 5:23-24

 

O maior e principal mandamento é amar ao Senhor Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma, com toda a sua mente e com toda a sua força. O segundo grande mandamento é amar ao seu próximo como você já ama a si mesmo. A primeira afirmação parece fácil de ser cumprida, mas a efetividade de amar a Deus com tal intensidade está diretamente ligada à prática do amor bíblico para com os outros (baseado em Mateus 22:36-40; Marcos 12:30-31; 1 João 2:10-11; 4:7-11, 20-21).

I. O ponto de vista de Deus

(Princípio 51) Se você não ama aos outros, você não ama a Deus (1 João 4:20-21). Se você não conceder perdão aos outros biblicamente, não será perdoado por Deus (Mateus 6:14-15, 18:21-35; Marcos 11:25-26). Concedendo perdão aos outros, você demonstra a sua obediência à Palavra de Deus (Efésios 4:32; Colossenses 3:13) bem como o seu amor ao Senhor (João 14:15; 1 João 5:3; 2 João 1:6). Quando você concede perdão aos outros, você mostra a sua gratidão para com Deus pelo perdão gracioso que Ele lhe concedeu no Senhor Jesus Cristo (baseado em Mateus 18:21-35, esp. versículos 32-33).

(Princípio 52) Não julgue os outros com base em padrões, perspectivas ou experiências pessoais (João 7:24; Romanos 14:1-13; Tiago 4:11-12). Você será julgado na mesma medida com que julgar os outros (Mateus 7:1-2; Lucas 6:36-38).

(Princípio 53) Se você estiver prestando culto a Deus e lembrar que alguém (esposa, irmão, vizinho, colega de trabalho, etc.) tem algo contra você, interrompa a sua adoração, vá em busca de reconciliação e só então retorne (Mateus 5:23-24). Em nome do Senhor Jesus Cristo, você deve rejeitar qualquer divisão entre crentes, já que a unidade do Corpo de Cristo se dá no Espírito Santo e mediante a atuação dEle. A unidade de mente e propósito deve caracterizar os crentes (João 17:20-23; 1 Coríntios 1:10, 12:22-27; Filipenses 2:1-2).

II. A sua esperança

(Princípio 54) Deus o capacitou para conceder perdão aos outros (baseado em Efésios 4:32). Você pode amar até mesmo os seus inimigos (Mateus 5:43-48; Lucas 6:27-35). Tanto o perdão como o amor bíblico não dependem dos seus sentimentos (baseado em 1 Coríntios 13:4-8a; Colossenses 3:13), mas de um ato da sua vontade (João 14:15; 2 Coríntios 5:14-15; 1 João 3:18-24; 4:10-11, 21) em resposta ao amor de Deus por você (1 João 4:19).
 

“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e, sim, unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e assim transmita graça aos que ouvem.”
Efésios 4:29

“Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo. Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros.”
Filipenses 2:3-4

 

Todo crente em Cristo é responsável por fazer a sua parte em busca de estabelecer e manter relacionamentos harmoniosos. O Senhor Jesus Cristo é o exemplo a seguir. Enquanto esteve aqui na terra, Ele demonstrou como expressar o amor bíblico para com os outros (baseado em Mateus 5:23-24; Marcos 11:25-26; Lucas 23:34; Romanos 12:18; 2 Coríntios 5:17-21; 1 Pedro 2:21-25, 3:8-9; 1 João 3:14, 18; 4:7-8).

III. A sua mudança

(Princípio 55) Faça aos outros o que você gostaria que eles lhe fizessem (Mateus 7:12). Você deve ser cuidadoso em remover da sua vida tudo quanto possa vir a ser uma pedra de tropeço para outros (Mateus 18:7; Romanos 14:13; 1 Coríntios 8:9,13).

(Princípio 56) Deixe de argumentar, discutir e retornar mal por mal; revista-se de um linguajar bondoso e de um comportamento amável, bendizendo aos outros (Filipenses 2:14-16; Colossenses 4:6; 1 Tessalonicenses 5:15; 2 Timóteo 2:23-25; 1 Pe-dro 3:8-9).

(Princípio 3) A prática da Palavra de Deus tem início com julgar a si mesmo e remover da própria vida os obstáculos pecaminosos (Mateus 7:1-5; 1 Coríntios 11:28-31; Hebreus 12:1). Em seguida, você tem o privilégio e a responsabilidade de restaurar outros a uma vida vitoriosa (Mateus 7:5; 2 Coríntios 1:3-4; Gálatas 6:1-5).

(Princípio 4) Visto que a Palavra de Deus é a única autoridade em questão de fé e conduta e o padrão legítimo exclusivo para a avaliação de todos os aspectos da vida, você não deve se basear em nenhuma outra fonte. A Palavra de Deus provê esperança e dá direção para mudanças no agir (pensamentos, palavras e ações). Ela é apropriada para equipá-lo para toda a boa obra (Salmo 19:7-11; Provérbios 30:5-6; Colossenses 2:8; 2 Timóteo 3:16-17; Hebreus 4:12; 2 Pedro 1:4) e para desenvolver em você uma atitude de servo à semelhança de Cristo (baseado em Mateus 20:25-28; Filipenses 2:5-8; 1 Tessalonicenses 2:13).

(Princípio 39) Nas situações e nos relacionamentos do dia-a-dia, você precisa desviar a atenção de si mesmo (Lucas 9:23-24; João 3:30, 12:24-26; Romanos 12:3, 14:7-8; 2 Coríntios 5:15), obedecendo aos mandamentos de Deus (Mateus 22:37-39). Em vez de pecar por depreciar a si mesmo, exaltar a si mesmo ou alimentar autocomiseração, você deve dar maior importância aos outros e ser um servo de Deus e do seu próximo (Mateus 20:26-28; Lucas 4:8; João 13:3-17, esp. versículos 14-15; Romanos 15:1-3; 1 Coríntios 9:19; 10:24, 32-33; Filipenses 2:3-8; Colossenses 3:23-24; 1 Pedro 4:10).

(Princípio 52) Não julgue os outros com base em padrões, perspectivas ou experiências pessoais (João 7:24; Romanos 14:1-13; Tiago 4:11-12). Você será julgado na mesma medida com que julgar os outros (Mateus 7:1-2; Lucas 6:36-38).

IV. A sua prática

(Princípio 57) Confesse os seus pecados ao Senhor (1 João 1:9) e confesse-os também àqueles contra quem você pecou, seguindo o modelo bíblico (Tiago 5:16). Expresse tristeza e arrependimento (Mateus 3:8; Atos 26:20; 2 Coríntios 7:9; Tiago 4:8-10), formule um plano bíblico e específico para alcançar mudança e comece a praticá-lo (2 Coríntios 7:9-11; Efésios 4:31-32; Colossenses 3:12-17; Tiago 1:25; 1 Pedro 4:8-11).

(Princípio 58) Quando estiver comunicando com outros, estabeleça o hábito de ouvir atentamente (Provérbios 18:2, 13; Tiago 1:19-20) para só depois falar a verdade em amor, abençoando aqueles com quem você está conversando (Efésios 4:15, 25, 29; Colossenses 4:6). Siga as instruções de Deus para a comunicação bíblica: seja honesto, bondoso e compassivo, não levante problemas do passado que já foram tratados, não fale palavras torpes, mas use somente aquelas que edificam e contribuem para a paz (Provérbios 12:18, 15:1; Romanos 14:19; Efésios 4:25, 29, 32; Colossenses 4:6).

(Princípio 59) Busque ativamente a reconciliação com outros (Mateus 5:9, 23-24; 18:15-18; Romanos 12:18; Colossenses 3:14-15).

(Princípio 44) Pratique o amor sem hipocrisia (sem encenação) (Romanos 12:9), demonstrando por meio dos seus pensamentos, palavras e ações o fruto da vida de Cristo em você (Mateus 5:16; Gálatas 5:22-23; Efésios 5:1-2).