Sem tempo para as viúvas?

“A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo.” (Tiago 1:27)

O que significa visitar?

Cada viúva é um indivíduo. Ninguém gosta de ser colocado em um grupo e ter suposições feitas sobre eles com base em dados demográficos. A única forma de realmente ajudar uma viúva é a conhecendo. Isto envolverá tempo e esforço da sua parte. De acordo com Tiago 1:27, “visitar viúvas” é evidência de que o seu compromisso com o Senhor Jesus Cristo é real e resulta em um ministério compassivo àqueles que necessitam. Demonstra que você é um praticante, e não somente um ouvinte da Palavra.

A palavra grega para “visitar” também pode ser traduzida como “cuidar” ou “se preocupar.” “Visitar” não consiste em aparecer para ver uma viúva, dizendo “Olá,” e ir embora. O fato de uma viúva não estar com dificuldades financeiras não o exime da responsabilidade como cristão de cuidar dela. Ela tem outras necessidades que são de natureza espiritual—emocional, social, intelectual, e assim por diante. Esses são assuntos que são tão críticos para o bem-estar dela quanto a ajuda financeira.

O conforto da consistência

Quando você visita, não vá uma vez com um vaso de plantas e nunca volte. Se você a vê semanalmente no culto da sua igreja e assume que ela está caminhando bem, você está falhando em seu ministério com ela. Visitas regulares à casa dela são a melhor forma de cumprir o mandamento de Tiago 1. Você será capaz de observar se ela precisa de algo em sua casa. Também é a melhor forma de conhece-la e interagir com ela de uma forma pessoal para que ela se sinta confortável para expor as necessidades que ela tem. Se ela está vivendo em um asilo, não assuma que todas as necessidades dela estão sendo supridas. É bom para ela e para a equipe saber que várias pessoas se preocupam e cuidam dela. Na infeliz situação em que um paciente idoso é abusado, normalmente as vítimas são aquelas que tem poucos ou nenhum visitante.

Viúvas normalmente tem muitas visitas nas primeiras semanas após a morte do marido. Então, as pessoas ficam ocupadas com suas vidas e tendem a achar difícil lembrar de continuar o ministério com ela. Marque no seu calendário, faça algum ponto de contato com ela, e planeje algumas visitas. É sempre um bom gesto trazer uma lembrança pequena e barata. Depois de sair, sua lembrança irá lembra-la de seu amor e bondade. Quando a mente dela tiver dificuldade para se concentrar e lembrar, a lembrança irá ajuda-la a lembrar de você. Depois que meu marido faleceu, uma amiga me deu uma pequena cesta cheia de sabonetes perfumados. Cada vez que eu uso um desses sabonetes eu me lembro dela e de sua bondade.

Palavras confortadoras

Muitas pessoas ficam desconfortáveis ao redor daqueles que estão em luto, particularmente se eles não têm experiência com a morte de um familiar próximo ou de um amigo. Abaixo eu listei somente alguns exemplos de palavras que você deve ou não deve falar para uma viúva. Se você não tem certeza do que dizer, é melhor dizer simplesmente “sinto muito.” Abraços gentis muitas vezes falam mais do que palavras eloquentes.

O QUE NÃO DIZER O QUE DIZER
“Ligue-me se eu puder fazer algo por você” “Eu gostaria de visita-la algum dia na próxima semana para levar um jantar/lavar as roupas/etc. Que dia é melhor para você?”
“Eu sei como você se sente” [mesmo que você também seja uma viúva] “Isto deve ser muito difícil para você. Eu sinto muito”
“Ele está em um lugar melhor” “Ele fará muita falta”
“Você ainda é jovem—pode se casar novamente” Nada
“Iremos convida-la para jantar algum dia” “Você está livre para jantar na próxima ___?”
“Como você está?” “Eu me preocupo com você e estou orando por você”
“Eu irei visita-la algum dia” “Posso aparecer ___ e ficar com você por meia hora?”
“Você é forte, ficará bem” Nada
“Deus nunca te dá mais do que você pode suportar” Nada (a menos que ela pergunte sobre 1 Coríntios 10:31 e você tenha um entendimento correto da passagem)
“Esta é uma benção disfarçada” Nada

Em relação a coluna “O que dizer,” você não irá dizer essas coisas a menos que elas sejam reais para você. Tente ajustar seu tom de voz de acordo com a situação dela no momento. Seja temperado e evite cantar canções para um coração aflito, ou sua presença será como uma rajada de ar num dia de frio (Provérbios 25:20). Uma personalidade efervescente é um teste para um coração aflito. As Escrituras nos chama a chorar com os que choram (Romanos 12:15)—se não lágrimas, ao menos um comportamento sério e calmo.

Se a viúva que você está cuidando não dirige mais e tem poucas opções para sair, leve-a para sair. Estudos mostram que pessoas sentem-se melhor fisicamente e mentalmente quando são capazes de desfrutar de ar livre. Pergunte se ela gostaria de ir a um arboreto, conservatório, ou jardim público, ou até mesmo a uma estufa de flores. Se você mora em um lugar onde os invernos são frios, é animador visitar um jardim coberto no meio do inverno.

Você pode ser a única pessoa que a viúva (que vive sozinha) conversa naquele dia, ou até mesmo, por alguns dias. Tente encoraja-la gentilmente e lembra-la com cuidado do amor de Deus por ela. Um sorriso caloroso e palavras doces podem animar o coração dela por algum tempo. Você investirá o seu tempo para compartilhar esse sorriso?

Questões para reflexão

Você está cuidando intencionalmente das viúvas da sua igreja? Se não, como você pode começar a se engajar nesse aspecto do ministério? No aconselhamento de viúvas, como as suas interações com elas são diferentes das suas interações com outros tipos de aconselhados?

Nota: o artigo foi retirado por Carol W. Cornish de seu próprio livro, The Undistracted Widow (Crossway, 2010).

[Este post, de autoria de Carol W. Cornish, foi originalmente publicado no blog da Biblical Counseling Coalition. Traduzido por Gustavo Santos e republicado mediante autorização.]

Escrito por Gustavo Santos

Gustavo Santos é engenheiro, e mestrando em Divindade pelo Faith Bible Seminary (Lafayette, IN, EUA). Atualmente, serve como estagiário na Igreja Batista Maranata em São José dos Campos – SP.

Ver todos os posts do autor →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *