Servindo Missionários com Aconselhamento Bíblico

Uma história

Chris e Julie sempre tiveram o trabalho de missões no coração. Eles se conheceram em um programa de pós-graduação com foco em missões. Uma rápida olhada em suas vidas revela o seguinte. Logo depois de casados, sua igreja afirmou chamado deles para servir como missionários de longo prazo. Eles estavam conectados com uma agência de envio, o apoio foi levantado, os planos foram definidos e eles arrumaram sua nova casa em um país que tinham há tempos em seus pensamentos e orações. Uma vez lá, gostaram de conhecer os outros que serviam no mesmo time e eram gratos pelas novas amizades. No primeiro ano, ficaram ansiosos para passar a maior parte do tempo aprendendo a língua e a cultura. O idioma era mais difícil para o Chris do que para a Julie e, para sua decepção, ele rapidamente começou a depender dela para as interações do dia-a-dia com as pessoas.

A luta

Até o final do primeiro ano eles reconheceram algumas diferenças de personalidade na equipe, e, apesar disso não era desanimador, era desafiador. As amizades que eles compartilhavam não eram tão próximas quanto amigos que haviam deixado para trás e um espírito de competição subjacente de outros membros da equipe era sentido por Chris e Julie.

O segundo e terceiro anos no campo foram difíceis. O pai do Chris sofreu um ataque cardíaco, e foi complicado estar tão longe enquanto seus pais realmente precisavam de um apoio extra. Seu pai começou a se recuperar, mas depois, no terceiro ano, Chris e Julie tiveram seu primeiro bebê, um menino nascido com importantes necessidades médicas. O país em que se encontravam tinha um bom atendimento médico para as necessidades de seu filho, mas a tensão emocional e física começava a exercer uma pressão em ambos. No meio de tudo isso, havia o trabalho da missão e a necessidade contínua de levantar suporte econômico. Essa é apenas uma breve descrição do que vivem muitos missionários hoje.

A vida de um missionário, ou de uma a família missionária, é cheia de sacrifícios. Aqueles chamados ao campo missionário deixam tudo o que lhes é familiar para começar uma nova vida em um país estrangeiro e desconhecido. Os desafios que enfrentam impactam a eles como indivíduos e à família como um todo. Aqueles chamados para serem missionários se entregam plenamente ao trabalho e muitas vezes suas únicas conexões são outras famílias missionárias que enfrentam as mesmas lutas.

Bênçãos misturadas

Os missionários entendem o que significa se sacrificar por causa do evangelho. Eles também entendem a incrível alegria de ser parte do trabalho do reino em lugares onde o evangelho não é compreendido ou, às vezes, nunca sequer foi pregado. A bênção de participar da plantação de sementes do evangelho em terras áridas da verdade oferece momentos ricos e de edificação da fé. O encorajamento de ver as pessoas chegarem à fé em Jesus é uma alegria duradoura para aqueles que servem como missionários.

Cuidados necessários

No entanto, pode ser um trabalho solitário e a necessidade de apoio emocional e conforto espiritual é enorme. Mais e mais agências de envio estão ampliando o foco no cuidado dos membros para incluir aconselhamento bíblico. Incluir aconselhamento regular no cuidado dos missionários como padrão, em vez de algo que é utilizado apenas quando a crise acontece, é uma tendência crescente nas organizações de envio. O foco em como ajudar indivíduos e famílias a fazer ajustes está crescendo. Sem tal cuidado, aqueles que servem como missionários podem encontrar uma luta ou um esgotamento grave que os leve a um serviço ineficaz ou, até mesmo, ao abandono do campo.

O reconhecimento de tal necessidade ajuda a oferecer aos missionários formas práticas e bíblicas para trabalhar em meio à tensão da mudança para um novo local onde a maior parte do seu apoio está a milhas, se não oceanos, de distância.

Como ajudar

Mas, o que isso significa para conselheiros bíblicos? É importante expandir o treinamento para se concentrar também no atendimento aos missionários e suas famílias. Isso significa aprender mais sobre as lutas específicas enfrentadas no campo. Missionários precisam de ajuda para caminhar na solidão, que pode acompanhá-los de maneiras inesperadas. Manter as amizades deixadas para trás, enquanto vivendo no campo, também pode ser uma luta. Ajudar com os relacionamentos internos de equipes é outra grande necessidade. Cônjuges carregam grandes fardos quando há pouca ou nenhuma linha de separação entre trabalho e família. Pais precisam ajudar para criar seus filhos em uma cultura diferente, pois lutam para saber aonde pertencem. Acrescente a tudo isso a pressão de levantar suporte financeiro. Tudo isso acontece enquanto se procura estabelecer conexões evangelísticas com as pessoas a quem estão servindo. Conselheiros que estão equipados com uma melhor compreensão dessas lutas podem oferecer mais empatia na caminhada em meio a essas pressões. Tal ajuda pode encorajar o missionário a ter uma perspectiva cheia de esperança com relação ao seu chamado, mesmo em meio às lutas. Pode ser um duto de vida que coloca o combustível em seus corações para ajudá-los a continuar a servir bem.

Outra maneira que conselheiros bíblicos podem ajudar é estando abertos para servir em viagens missionárias de curto prazo, especificamente para apoiar a equipe da missão com aconselhamento bíblico. Muitas organizações de envio oferecem conferências de treinamento para os seus missionários, nas quais também fornecem aconselhamento ou oficinas ministradas por aqueles treinados em aconselhamento bíblico. Outras organizações agora têm vagas para conselheiros que queiram servir no atendimento de missionários on-line ou como membro da equipe de conselheiros no próprio local. A necessidade de conselheiros bíblicos que têm uma compreensão das lutas que os missionários enfrentam está crescendo à medida que as necessidades aparecem cada vez mais.

Concluindo, ore por aqueles que servem. Saber que alguém está orando pelas necessidades específicas que enfrentam pode ser uma ótima fonte de encorajamento para aqueles que servem no campo missionário.

[Este post, de autoria de Eliza Jane Huie*, foi originalmente publicado no blog da Biblical Counseling Coalition. Traduzido e adaptado por Lucas Sabatier, e republicado mediante autorização.]

*Eliza Huie é uma conselheira bíblica no Life Counseling Center em Marriottsville, Maryland, nos EUA. Ela serviu com algumas organizações missionárias aconselhando missionários biblicamente, visto as necessidades daqueles que servem no campo da missão.

Escrito por Lucas Sabatier

Lucas Sabatier é conselheiro certificado pela ACBC (Association of Certified Biblical Counselors) e mestrando em teologia prática pelo Southern Baptist Theological Seminary (Louisville–KY). É também advogado, formado em Direito pela PUC de São Paulo, e mestre em divindade pelo Faith Bible Seminary (Lafayette–IN, EUA). É casado com a Isabella, e pai da Ana Luisa e da Sophie.

Ver todos os posts do autor →

Este artigo tem 1 comentário

  1. Sandra da Silva Castro Responder

    Ótimo post…Há um período chamado “choque Cultural” que todos missionários passam. Uns sentem com mais intensidade. Servir aos missionários com aconselhamento bíblico é com certeza necessário. Louvo a Deus pela vida da Eliza Huie. Que mais conselheiros se inclinem à essa missão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *